quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Guia Prático de Como Se Comportar Após o Fim de um Relacionamento



(ou “Como Não Ser um Otário Após um Pé na Bunda”)


Relacionamentos são complicados. Num dia você acha que será pra sempre e no outro... pimba! Tudo acaba. Os motivos são variados e não cabe a nós discutirmos o que levou a essa situação crítica. Entretanto, é possível aprender a lidar com a rejeição e sair de forma classuda e digna. Hoje é dia então de conselhos a la He Man: portanto, atentem a essas sete dicas práticas baseadas em minhas maravilhosas experiências de vida. Valem para todos... Homens, mulheres, punks de butique e afins! ;)

1 – O que está encerrado, está encerrado
  Tudo na vida tem começo, meio e fim. Caramba, essa é a lei universal de tudo... Como ir contra ela? Portanto, não importa se foram três meses, um ano, “cinco anos maravilhosos” ou cinquenta. Quando acabou, acabou... Se houver uma volta, dificilmente será a mesma coisa. Principalmente se você for um babaca que fica jogando as coisas na cara da parceira.

2 – Se está com alguém, valorize
  É muito fácil correr atrás quando as coisas acabam. Na hora que estavam juntos, você realmente esteve do lado dessa pessoa? Qualquer imbecil hoje em dia muda o status no Facebook ou se casa. Mas será que só isso basta? Você esteve do lado de quem disse que ama durante o relacionamento? Correr atrás depois é mais um ato de posse do que amor realmente. Não confunda as coisas, amiguinho! É muito bonitinho ter alguém de enfeite, pra desfilar por aí, mas se não cuidar o Antonio Banderas vem e leva.

3 – Tenha amor próprio
  Ahá! Isso aqui é realmente importante. Ninguém – e eu digo NINGUÉM – gosta de quem tem comportamento de verme ou criança birrenta. Sério, com isso você só queima o teu filme e perde qualquer fiapo de respeito que possam ter por ti. Birra funciona quando você tem oito anos e teu pai não quer te comprar aquele adorável carinho de brinquedo na vitrine. Agora, chorar, falar que vai morrer, que vai se tornar alcoólatra, pedir pra chamar a ambulância porque tá passando mal... Não, não e NÃO! Para e pensa no ato ridículo pois você irá se envergonhar mais tarde e irá causar risos quando os outros ficarem sabendo desses “causos”.

4 – Nada de covardia
  Ok, depois de choramingar, passamos pra fase “covarde” da rejeição. É quanto o rejeitado passa a ligar pra pessoa a ameaçando, fala que vai destruir a vida dela, começa a difamá-la... tenta se passar por um louco doente, tsc, tsc. Isso é tão ridículo e ineficiente. Essa intimidaçãozinha barata nada mais é do que uma tentativa de chamar atenção e não dá resultado nenhum. Portanto, vamos honrar nossas bolas e agir feito homens. Ah, sim, mais um detalhezinho interessante: ameaças podem – e devem – ser denunciadas para polícia, então muito cuidado com as bobeiras que escreve para os outros.

5 – Quando alguém não quer, ela não quer
  Essa é quase uma variação da primeira dica. Se a pessoa quisesse ficar com você, ela ESTARIA com você. Simples assim. E outra: não dá pra uma pessoa ser roubada de outra, viu? Você pode roubar um objeto ou coisa assim, mas não uma pessoa. Portanto, deixem as ideias possessivas de lado... um ser humano não é uma posse que você mantém ao lado só pra aparecer. Dá pra pedir pro papai aquele carrinho de brinquedo (lembra dele?), mas não dá pra comprar o amor de uma pessoa.

6 – Não se faça de vítima
  “Oh, ela me abandonou”, “Oh, eu fiquei o tempo todo do lado dela” e “Oh, estou sendo injustiçado pelos deuses”. Bacana, muito bacana mesmo... mais um pouco e dá até pra concorrer a um Oscar, que tal? Mas, ao invés de se fazer de vítima, para e pensa se você foi realmente a pessoa que acreditou ser. Pessoas mimadas acham que a única coisa que você precisa é sustentar financeiramente alguém. Acham que dar tudo de material é uma maneira de segurar alguém. Não, não é, amiguinhos. O dinheiro não compra o carinho num olhar, um afago nos cabelos, um beijo inesperado ou um abraço quando mais se espera.

7 – O mundo é grande demais
  Por fim, hora do conselho bacanudo! Não existe só uma pessoa no mundo, sabia? Existem BILHÕES por aí e é grande a chance que você encontre alguém tão legal (ou tão otário) quanto você. Portanto, erga a cabeça, estufe o peito e bola pra frente. Saia dessa situação com classe, oras.

  Me dá uma tremenda pena ver pessoas agindo da maneira que descrevi neste meu simpático artigo. Portanto, espero que realmente isso seja de valia pra você que esteja com dificuldades nesse momento, que passa as madrugadas bebendo, chorando e infernizando as pessoas que um dia tiveram um pingo de respeito por ti. Dá pra ter um pouquinho de amor próprio e sair com classe de uma situação dessas. Eu mesmo já encerrei relacionamentos maravilhosos e sempre me gabei de manter até hoje uma ótima relação de amizade e respeito com minhas antigas companheiras.

  Portanto, seja homem e conquiste o respeito dos outros agindo feito um, não como uma criança que passou a vida inteira mimada pelos pais e acha que tudo na vida será da maneira que quer. Sério, porque se você age assim durante um relacionamento, imagino como se porta em outros aspectos da sua vida.

  Ah, sim... e pra descontrair, vejam estes bilhetes engraçados de fim de relacionamentos! E como diria o He-Man... “até a próxima, minha gente!”

  (Sério, eu deveria ter me formado em Psicologia)

Um comentário:

  1. Concordo plenamente , Parabens pelo post..que alias serve pra muitos ''otarios da vida '' fins de relacionamentos nunca sao faceis.. mais ninguem é de ninguem fato.. a pergunnta é : sera que o amor temm prazo de validade ?!

    ResponderExcluir